quinta-feira, 16 de setembro de 2010

NASA encaminha sondas para 'lugar nenhum'

arquivo virtual
Por Inovação Tecnológica
A Agência Espacial Norte-Americana (NASA) acaba de colocar a sonda espacial Artemis-P1 em uma órbita atrás da Lua, mas sem realmente orbitar a Lua. Este tipo de trajetória, chamada órbita de oscilação Terra-Lua, depende de um equilíbrio preciso entre a gravidade do Sol, da Terra e da Lua, para que uma nave espacial possa contornar um ponto virtual, em vez de um planeta ou uma lua.
Ou seja, a sonda está orbitando um ponto virtual do espaço. Com isto, a Artemis-P1 tornou-se a primeira sonda espacial a navegar e realizar operações ao redor dos pontos de Lagrange L1 e L2 do sistema Terra-Lua. A origem do trajeto de oscilação, também conhecida como órbita de libração, está no fato de que a da Lua não é perfeitamente circular, embora a duração de sua rotação e de sua órbita em torno da Terra serem idênticas. A do nosso satélite também apresenta uma inclinação de cinco graus, o que causa outra oscilação. São essas variações que permitem que vejamos 59% da superfície da Lua, embora tenha sempre a mesma face voltada para a Terra.

Pontos de Lagrange - Há cinco pontos de Lagrange associados com o sistema Terra-Lua. Os dois pontos mais próximos da Lua são de grande interesse para a exploração lunar. Esses pontos são chamados L1 (situado entre a Terra e a Lua) e L2 (localizado do outro lado da Lua em relação à Terra). Cada um está a cerca de 61.300 km acima da superfície lunar. Demora de 14 a 15 dias para completar uma revolução sobre os pontos L1 ou L2. Essas órbitas estranhas, que têm um desenho com a forma de um rim, são dinamicamente instáveis, exigindo um acompanhamento semanal do pessoal de terra. As correções para manter a estabilidade da nave são realizadas regularmente com o auxílio dos propulsores de bordo. Depois que a Artemis-P1 completar suas primeiras quatro voltas na órbita L2, a Artemis P-2 entrará na órbita L1.

Magnetosfera - As duas sondas gêmeas farão observações da magnetosfera de lados opostos do satélite natural durante três meses. Então a P1 vai passar para o ponto L1, onde ambas permanecerão por um período adicional de três meses. Isso permitirá a coleta de dados inéditos do sistema Sol-Terra-Lua. As Artemis farão medições simultâneas de partículas e de campos elétricos e magnéticos de duas posições para fornecer a primeira perspectiva tridimensional de como se dá a aceleração de partículas de alta energia próximo à órbita da Lua, na magnetosfera distante, e no vento solar.

Elas também vão fazer observações sem precedentes do ambiente espacial para trás do lado escuro da Lua, o maior "vácuo" - de vento solar - conhecido no Sistema Solar. No final de março de 2011, as duas naves serão manobradas para uma órbita lunar elíptica, onde continuarão a observar a dinâmica da magnetosfera, o vento solar e o ambiente espacial por vários anos.

Naves reaproveitáveis - ARTEMIS significa Acceleration, Reconnection, Turbulence and Electrodynamics of the Moon's Interaction with the Sun [Aceleração, Reconexão, Turbulência e Eletrodinâmica da Interação da Lua com o Sol]. As sondas são, na verdade, duas dentre a frota de cinco naves de uma missão de heliofísica da NASA chamada THEMIS, lançadas em 2007, cuja missão foi concluída com êxito no início deste ano. Foi a THEMIS que ajudou a descobrir a origem das auroras boreal e austral.
imagem no Portal da Ufologia Brasileira

Agradecimentos a:
Paulo R. Poian.
Consultor da Revista UFO Brasil

Seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário

Não serão aceitos comentários Anônimos (as)
Comentar somente sobre o assunto
Não faça publicidade (Spam)
Respeitar as opiniões
Palavras de baixo calão nem pense
Comentários sem Perfil não será publicado
Quer Parceria não será por aqui.(Contato no Blog)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Link - me



Software do Dia: Completo e Grátis

Giveaway of the Day

Suas Férias

PageRank

  ©LAMBARITÁLIA - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo