quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Polícia confisca dinheiro do Vaticano por irregularidades


Roma - A polícia italiana sequestrou preventivamente 23 milhões de euros do Instituto para as Obras de Religião (IOR), o banco do Vaticano, enquanto dois altos funcionários do organismo estão sendo investigados pela Procuradoria de Roma.

Esta é a primeira vez que uma iniciativa do gênero é executada contra o IOR na Itália. Segundo apurou a ANSA, entre os envolvidos no caso sobre omissões vinculadas a violações das normas contra lavagem de dinheiro está o presidente da instituição, Ettore Gotti Tedeschi.

A ação penal foi baseada em dados da Unidade de Informação Financeira (UIF) -- ligada ao Banco da Itália (banco central do país) -- que já havia disposto, em 15 de setembro, a suspensão por cinco dias de duas operações consideradas suspeitas, feitas pelo IOR em sua conta na sede romana do banco Credito Artigiano.

As iniciativas se referiam à movimentação de 20 milhões de euros destinados ao instituto de crédito J.P. Morgan em Frankfurt, e à de outros três milhões para a Banca del Fucino, da Itália.

Na conta foram depositados em seguida 28 milhões de euros. As supostas irregularidades seriam violações dos itens 2 e 3 do artigo 55 do Decreto Legislativo 231/2007, que obriga as entidades bancárias a indicarem as identidades dos sujeitos das operações financeiras, bem como seus objetivos e natureza.

O envolvimento do IOR na investigação não é ligado, portanto, a lavagem de dinheiro, mas a uma série de omissões dos envolvidos nas movimentações e seus efeitos, e que são previstas em legislações contra este crime.

O dinheiro foi sequestrado sob ordem da juíza Maria Teresa Covatta, a partir de uma solicitação do procurador adjunto Nello Rossi e do procurador substituto Stefano Rocco Fava.

Em uma circular de 9 setembro, o Banco da Itália havia dado aos institutos de crédito indicações sobre as relações com o IOR, que deve ser considerado uma instituição extracomunitária (proveniente de fora da União Europeia).

A medida reforça as verificações feitas junto ao banco do Vaticano, motivo pelo qual a UIF ativou os controles que levaram ao sequestro dos 23 milhões de euros e à inscrição no registro de investigados também do presidente Tedeschi.

Ior: sequestrati 23 milioni, indagato presidente
 
www.ansa.it/www.italianos.it

Seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário

Não serão aceitos comentários Anônimos (as)
Comentar somente sobre o assunto
Não faça publicidade (Spam)
Respeitar as opiniões
Palavras de baixo calão nem pense
Comentários sem Perfil não será publicado
Quer Parceria não será por aqui.(Contato no Blog)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Link - me



Software do Dia: Completo e Grátis

Giveaway of the Day

Suas Férias

PageRank

  ©LAMBARITÁLIA - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo