quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Detectados 23 novos sítios arqueológicos em Santarém (PA)

Locais ficam nos arredores da cidades e ainda não foram escavados. Mesma equipe estuda maior sítio urbano na região do Tapajós
Expedição descobre novos sinais arqueológicos na região. Crédito: Denise Gomes
Por Lucas Frasão

Arqueólogos que estudam a região de Santarém anunciaram nesta semana, durante o 1º Simpósio de Arqueologia na Faculdade de Ciências e Letras da UNESP em Araraquara, no interior de São Paulo, a descoberta de 23 novos sítios arqueológicos ainda não explorados nos arredores da cidade paraense.

A detecção dos novos sítios foi realizada por meio do projeto Análise das Socio-cosmologias Amazônicas Pré-Coloniais, financiado pela Fapesp e coordenado pela arqueóloga Denise Maria Cavalcante Gomes, que escava outros sítios na região desde 2006.

"Eu havia detectado sete em 2008 e agora surgiram mais 23", disse ela. "Na Amazônia, dois indicadores fortes para a identificação de sítios são a presença de terra preta e a de cerâmicas. Às vezes é possível ver a intervenção na superfície, sem necessidade de escavações."

Ainda não explorados, os novos sítios arqueológicos estão localizados em um quadrilátero de 20 por 25 km entre Santarém e Belterram, município vizinho. O grupo de pesquisadores liderados por Denise deverá escolher cerca de quatro deles para estudar mais a fundo nos próximos meses.

O trabalho na região começou em 2006 com a pesquisa do Aldeia, considerado um dos maiores sítios arqueológicos da Amazônia e o maior da região do Tapajós. Sua principal característica é que ele fica em área urbana e corta ao menos dois bairros de Santarém.

Por conta disso, a equipe tem de escavar em quintais de moradores, fundos de estabelecimentos comerciais e jardins. "Ele tem dois quilômetros de comprimento por 700 metros de largura. Mas acho que pode ser maior ainda", informou Denise. "Os resultados mostram que o sítio teve ocupação contínua, até por grupos anteriores aos tapajós". As populações mais antigas teriam vivido na região por volta de 3.000 anos atrás, segundo ela.
 
Agradecimentos a:
Paulo R. Poian.
Consultor da Revista UFO Brasil

Seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário

Não serão aceitos comentários Anônimos (as)
Comentar somente sobre o assunto
Não faça publicidade (Spam)
Respeitar as opiniões
Palavras de baixo calão nem pense
Comentários sem Perfil não será publicado
Quer Parceria não será por aqui.(Contato no Blog)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Link - me



Software do Dia: Completo e Grátis

Giveaway of the Day

Suas Férias

PageRank

  ©LAMBARITÁLIA - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo