quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Segunda Guerra Mundial - Ambiente e Origem - Dantzig e a Polônia

Dantzig e a Polônia 
 
A resposta de Hitler foi característica: repudiou um outro grupo de tratados. No seu discurso de 28 de abril, utilizou-se da garantia à Polônia como desculpa para a denúncia tanto da declaração de amizade que a Alemanha e a Inglaterra tinham feito em Munique como do tratado naval anglo-germânico de 1936. Isto era algo que a Inglaterra podia receber calmamente, como tinha recebido a declaração alemã, em dezembro anterior, sobre a intenção de aumentar a força submarina alemã ap nível da britânica. Mais séria foi a denúncia do tratado de não agressão germano-polonês de 1934. Tratava-se então de um acordo concluído para um período de dez anos e ao qual Hitler estava habituado a referir-se com especial orgulho como sendo uma prova de seu desejo de paz. Em maio de 1935, ele dissera: "Reconhecemos o Estado polonês como a pátria de uma grande nação patriótica, com a compreensão e a cordial amizade de leais nacionalistas". Em fevereiro de 1938, ele disse que a compreensão "tinha conseguido remover todo o atrito entre a Alemanha e a Polônia e lhes possibilitado trabalhar juntas em verdadeira amizade." Em setembro seguinte, asseverou: "Estamos todos convencidos de que esse acordo resultará numa duradoura pacificação." Ainda em fins de janeiro de 1939, Herr von Ribbentrop disse no decurso de uma visita a Varsóvia: "Posso assegurar aos alemães na Polônia que o acordo de 1934 pôs um ponto final à inimizade entre os nossos povos". Agora, em abril, Hitler desfez esse acordo sob a alegação de que ele havia sido violado pela garantia britânica e "portanto não mais está em vigor."
 
imagem ilustrativa
A campanha contra a Polônia tomou agora uma intensidade familiar. A imprensa alemã clamava contra os horríveis maus tratos infligidos aos alemães na Polônia e a intolerável provocação que a Polônia oferecia à Alemanha. Herr Forster, líder dos nazistas de Dantzig, ia e voltava entre aquela cidade e a de Berlim de uma maneira que lembrava a de Konrad Henlein. Os recursos de Hitler tornaram-se mais fortes em maio com a conclusão de uma aliança militar com a Itália, aliança pela qual uma estava ligada à outra no caso de conflito armado. Verificaram-se expulsões já de poloneses, já de alemães. "Turistas", lembrando de perto membros das tropas de assalto, passaram subitamente a visitar Dantzig em grande número. Armas eram contrabandeadas para a cidade em crescentes quantidades. Multiplicaram-se os choques internos na Polônia; um conflito ameaçava irromper entre as autoridades de Dantzig e os guardas alfandegários poloneses; tiroteios de fronteira acrescentaram a isto tudo um toque de mau agouro. "A Alemanha" - disse Hitler, depois de os acontecimentos terem servido ao seu trágico propósito - "estava determinada a acabar com essas condições macedônicas em sua própria fronteira, e, mais ainda, fazer isto não somente no interesse da ordem, mas também no interesse da paz européia".

A Grã-Bretanha, nesse ínterim, nos esforços para completar a frente de paz, abriu negociações com a Rússia.
 
 

fonte: http://www.2guerra.com.br

Seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário

Não serão aceitos comentários Anônimos (as)
Comentar somente sobre o assunto
Não faça publicidade (Spam)
Respeitar as opiniões
Palavras de baixo calão nem pense
Comentários sem Perfil não será publicado
Quer Parceria não será por aqui.(Contato no Blog)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Link - me



Software do Dia: Completo e Grátis

Giveaway of the Day

Suas Férias

PageRank

  ©LAMBARITÁLIA - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo