sábado, 14 de agosto de 2010

Napolitano demonstra produdência sobre antecipação de eleições

O presidente da Itália, Giorgio Napolitano, recordou hoje aos dirigentes políticos que falam de uma eventual antecipação das eleições para resolver a crise interna do governo de Silvio Berlusconi que a dissolução do Parlamento é uma prerrogativa de seu cargo.     Em entrevista ao jornal L'Unità, o chefe de Estado assinalou que "seria bom que expoentes políticos de qualquer parte não dessem indicações" sobre um possível pleito "sem ter título e de modo apressado e instrumental".
"As minhas responsabilidades institucionais entrarão em jogo só quando resultar no Parlamento que a maioria tenha sido dissolvida e, portanto, se abriu uma crise de governo. Cumprirei em tal caso todos os passos que a Constituição e a práxis nela inspirada claramente ditam", continuou Napolitano.

O presidente falou do que classificou como "um sério conflito político dentro da coalizão vencedora das eleições de 2008", intensificado no final de julho, com o rompimento dos laços entre o premier e o presidente da Câmara dos Deputados, Gianfranco Fini, aliado histórico de Berlusconi e um dos fundadores do partido governista Povo da Liberdade (PDL). Fini foi retirado da agremiação e fundou o grupo Futuro e Liberdade para a Itália (FLI).    Na semana passada, o primeiro-ministro passou por uma prova com a votação de uma moção de desconfiança no Congresso contra um dos membros de seu gabinete. O texto não foi aprovado, mas se tivesse sido poderia levar à antecipação das eleições, pois significaria a perda da maioria governista no Parlamento.    Segundo anunciaram membros do PDL há alguns dias, Berlusconi pretenderia se submeter a um voto de confiança do Legislativo em setembro -- quando as atividades são retomadas na Itália após a pausa do verão europeu -- e um eventual resultado negativo faria com que ele renunciasse.

"Agora é hora de diminuir os tons, realizar um esforço de ponderação responsável entre as exigências da clareza política e a da manutenção da vida institucional", declarou Napolitano, dizendo estar "muito inquieto pelas disputas políticas destas últimas duas semanas e por suas implicações institucionais".
O Chefe de Estado destacou a importância de manter a confiança no governo para consolidar e reforçar os "sinais recentes, positivos e encorajadores da retomada produtiva, de volta ao crescimento" mesmo em um quadro internacional "que continua crítico".

Desse modo, Napolitano questionou "quais seriam as consequências para o país" se ao invés de continuar a restabelecer os aspectos econômicos após a crise mundial "se andasse por um voto político e uma muito difícil briga eleitoral".

"Sempre acreditei que nenhum contraste político deve comprometer inapropriadamente a vida das instituições. Por isso, é necessário que se ponha fim a uma campanha gravemente desestabilizadora no plano institucional e que deslegitima o presidente de um ramo do Parlamento e a própria função que lhe cabe", continuou o presidente, aludindo aos que pedem a saída de Fini da titularidade da Câmara dos Deputados.
 

Seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário

Não serão aceitos comentários Anônimos (as)
Comentar somente sobre o assunto
Não faça publicidade (Spam)
Respeitar as opiniões
Palavras de baixo calão nem pense
Comentários sem Perfil não será publicado
Quer Parceria não será por aqui.(Contato no Blog)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Link - me



Software do Dia: Completo e Grátis

Giveaway of the Day

Suas Férias

PageRank

  ©LAMBARITÁLIA - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo