sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Caso Battisti foi decidido pela 'razão de estado', diz La Russa

Roma - O ministro italiano da Defesa, Ignazio La Russa, afirmou que "prevaleceu a razão de Estado sobre a ética política" no caso do ex-ativista Cesare Battisti, detido na penitenciária da Papuda, em Brasília, e cuja extradição é solicitada pela Itália.
O titular da pasta da Defesa fez a declaração hoje, ao participar de um encontro com representantes industriais de seu país. Na mesma ocasião, ele destacou também que, ao negociar a venda de armamentos ao Brasil, precisou manter uma postura diferente da que gostaria de ter tido.

"Esforcei-me para assinar também com o Brasil algumas relações que a minha vontade dizia de manter no máximo em stand by", continuou La Russa, dizendo que manteria a política "ao menos até que a atual indecisão sobre a restituição à Itália de um terrorista como Cesare Battisti seja superada".

Em abril passado, em reunião em Washington, Estados Unidos, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o premier italiano, Silvio Berlusconi, assinaram uma parceria estratégia bilateral que, entre outros, incluía a cooperação em matéria técnico-militar e de defesa. Meses depois, em junho, o ministro da Defesa, Nelson Jobim, acertou com as autoridades italianas ajustes em tal acordo.

O ex-ativista italiano, que pertencia ao grupo Proletários Armados pelo Comunismo (PAC), foi condenado à prisão perpétua em seu país por quatro homicídios cometidos na década de 1970. Após ter fugido da Itália, passando por México e França, Battisti foi preso no Brasil em 2007, e recebeu em janeiro de 2009 o status de refugiado político concedido pelo então ministro da Justiça, Tarso Genro.

No fim do último ano, o caso foi ainda analisado pelo Supremo Tribunal Federal (STF), que se posicionou a favor da extradição, como requere o Estado italiano. O parecer deve também ser avaliado por Lula, que não se pronunciou até o momento.

No sábado passado, o chanceler italiano, Franco Frattini, pediu ao governo brasileiro que decida sobre o destino do ex-militante do PAC antes do término do mandato atual.

"Pediremos às autoridades brasileiras que, antes do fim de seu mandato, o presidente Lula aplique o tratado de extradição em vigor entre Itália e Brasil para o terrorista Cesare Battisti", afirmou Frattini, ao participar da apresentação do livro "Gli amici del terrorista. Chi protegge Cesare Battisi" (2010), de Giuseppe Cruciani.
 

Seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário

Não serão aceitos comentários Anônimos (as)
Comentar somente sobre o assunto
Não faça publicidade (Spam)
Respeitar as opiniões
Palavras de baixo calão nem pense
Comentários sem Perfil não será publicado
Quer Parceria não será por aqui.(Contato no Blog)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Link - me



Software do Dia: Completo e Grátis

Giveaway of the Day

Suas Férias

PageRank

  ©LAMBARITÁLIA - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo