segunda-feira, 18 de outubro de 2010

E se a vida tivesse começado no gelo?

O RNA é capaz de se reproduzir na água a 0ºC
Confirmando-se este cenário, uma verdadeira revolução na idéia da vida extraterrestre pode ocorrer. Crédito: Fantom XP
 
Por Ciência Hoje 

Uma experiência realizada no laboratório de biologia molecular, em Cambridge, mostrou que material genético sumário poderia reproduzir-se eficazmente na mistura de água com gelo, em equilíbrio. Este novo argumento está a favor do fato de a vida ter aparecido “no frio”. A hipótese foi testada por James Attwater e publicada na Nature Communications. Segundo o estudo, as pequenas bolhas de água que o gelo contém são um meio propício para a vida começar e facilitam a reprodução exata do material genético primordial.
Este cenário não é completamente novo. No final dos anos 90, alguns cientistas chegaram à conclusão de que o clima da Terra primitiva era provavelmente mais temperado daquilo que se pensava e compatível com a presença de grandes quantidades de gelo. A possibilidade avançada por Attwater explica a aparição de constituintes elementares do material genético (RNA ou DNA), bastante instável, quando submetido a altas temperaturas. O início de vida próxima de fontes hidrotermais sulfúricas situadas na dorsal oceânica parecia complicado, por esta razão.
O RNA é o intermediário na transferência de informação entre o DNA e a proteína. Há 25 anos, parte da comunidade científica acredita que esta molécula é a primeira a ter aparecido e mesmo antes da origem da vida. Já o Nobel de Química, Walter Gilbert, admitiu esta possibilidade num artigo publicado na Nature, em 1986. O fato é que o RNA é capaz de se replicar sozinho, sem a ajuda de proteínas complexas – o que supõe que poderia perfeitamente ter sido a primeira forma de vida.
Os recentes estudos dos investigadores de Cambridge reforçam a teoria. Attwater demonstrou que uma forma de RNA bastante simples é capaz de se reproduzir na água a zero graus centígrados e que o processo, apesar de lento, é bastante eficaz a longo prazo e, assim, o RNA replicado é estável. As microbolhas de água protegem o material genético mais frágil, um pouco como as células.
Estudos de 2004 já tinham demonstrado que blocos elementares se ligam naturalmente para formar o RNA a estas temperaturas. Com isto, os cientistas britânicos começam a obter uma teoria cada vez mais sólida, em relação à aparição de vida “no frio”. Contudo, falta ainda demonstrar que estes blocos consigam se formar a temperaturas tão baixas. Mas, se este cenário se confirmar, as próximas décadas poderão ser uma verdadeira revolução, para investigar vida extraterrestre, já que o gelo é onipresente no universo.
 
Agradecimentos a: Paulo R. Poian.

Seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário

Não serão aceitos comentários Anônimos (as)
Comentar somente sobre o assunto
Não faça publicidade (Spam)
Respeitar as opiniões
Palavras de baixo calão nem pense
Comentários sem Perfil não será publicado
Quer Parceria não será por aqui.(Contato no Blog)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Link - me



Software do Dia: Completo e Grátis

Giveaway of the Day

Suas Férias

PageRank

  ©LAMBARITÁLIA - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo