sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Pela primeira vez, cientistas conseguem criar e armazenar átomos de antimatéria

Matéria comum e antimatéria se destroem ao entrar em contato, produzindo radiação
Ilustração. Crédito: Stfc
Por Carlos Orsi

Ineditamente, cientistas conseguiram não só produzir como estocar e liberar, de forma controlada, átomos de anti-hidrogênio, a versão em antimatéria dos átomos de hidrogênio, os mais simples encontrados na natureza. Publicado antecipadamente no site da revista Nature, o artigo assinado pela equipe do dinamarquês Jeffrey Hangst descreve a tecnologia usada para criar e aprisionar - por 170 milissegundos - pelo menos 38 átomos desse "hidrogênio negativo".

Antimatéria é composta por partículas idênticas às da matéria comum mas, no caso das versões "antimateriais" do próton e do elétron, dotadas de carga elétrica oposta. Os antiprótons têm carga negativa e os antielétrons, ou pósitrons, carga positiva. No entanto, mesmo partículas desprovidas de carga elétrica, como o nêutron e o neutrino, têm contrapartes na antimatéria.

Átomos de anti-hidrogênio já haviam sido criados anteriormente. Mas matéria comum e antimatéria se destroem ao entrar em contato, produzindo radiação. Essa característica é usada na tecnologia médica, onde a chamada tomografia PET se vale da desintegração de pósitrons para gerar os sinais que são captados pelo equipamento de imagem...
 
agradecimentos a: 
Paulo R. Poian.
Consultor da Revista UFO Brasil

Seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário

Não serão aceitos comentários Anônimos (as)
Comentar somente sobre o assunto
Não faça publicidade (Spam)
Respeitar as opiniões
Palavras de baixo calão nem pense
Comentários sem Perfil não será publicado
Quer Parceria não será por aqui.(Contato no Blog)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Link - me



Software do Dia: Completo e Grátis

Giveaway of the Day

Suas Férias

PageRank

  ©LAMBARITÁLIA - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo