sábado, 29 de janeiro de 2011

Lembrando o Challenger



Vinte e cinco anos atrás, a nação assistiu como a tripulação mais diversificada  da história decolou em direção ao espaço. Mas depois de apenas 73 segundos a viagem se transformou em uma catástrofe tecnológica como ninguém nunca tínha visto antes.




A tragédia foi a explosão do ônibus espacial Challenger, o segundo mais antigo da NASA e que já havia completado nove missões, foi sem dúvida uma catástrofe da mais alta tecnologia da história humana.


Foi também um dos mais visíveis. Junto com seis astronautas, estava no Challenger  Christa McAuliffe, uma professora, o primeiro cidadão comum a ir para o espaço. As salas de aula por todo o país sintonizaram para assistir sua ascensão. Acima está um desenho de uma criança mostrando o incidente, elaborado alguns dias depois.


Os seis astronautas a bordo da Challenger, juntamente com Christa McAuliffe compunham o grupo mais diversificado, incluindo um homem negro, um japonês-americano, e duas mulheres, um dos quais era judeu. Primeira fila: Michael J. Smith, Dick Scobee, Ronald McNair; fileira de trás: Ellison Onizuka, Christa McAuliffe, Gregory Jarvis, Judith Resnik.


Durante todo o dia, a explosão foi revivida e não apenas em nossa imaginação, mas na metragem que repetidos ad nauseam na TV. Nesse sentido, o trauma em si era tecnológica, também, a criação do molde de como gostaríamos de reviver toda a tragédia nacional depois.


Ronald Reagan cancelou toda sua agenda naquela noite . "Nós nunca iremos esquecê-los", disse ele em seu programa a partir do Salão Oval ", nem a última vez que os vimos, esta manhã, quando se preparavam para a viagem e se despediram  da Terra para tocar a face de Deus ".


E enquanto isso poderiam ser como nós tente  lembrar os membros da tripulação do Challenger, não podemos deixar de lembrar o que aconteceu com eles, também assim, o melhor que podemos fazer é deixar o Challenger nos lembrar do coração do programa espacial, e realmente o coração de todas as realizações científicas e tecnológicas. Para deixá-lo nos lembrar que quando você tira fora a burocracia, os orçamentos e as transmissões, o que lhe resta são os seres humanos, tão frágil quanto eles são corajosos,para tentar conhecer um pouco mais do desconhecido.


original em: gizmodo

Seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário

Não serão aceitos comentários Anônimos (as)
Comentar somente sobre o assunto
Não faça publicidade (Spam)
Respeitar as opiniões
Palavras de baixo calão nem pense
Comentários sem Perfil não será publicado
Quer Parceria não será por aqui.(Contato no Blog)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Link - me



Software do Dia: Completo e Grátis

Giveaway of the Day

Suas Férias

PageRank

  ©LAMBARITÁLIA - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo