quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Os empresários mais bem pagos da Itália

Milão - A Consob (Commissione Nazionale per le Società e la Borsa) acende um farol sobre os salários e as indenizações dos top manager e sobre os planos de sucessão e autoavaliação dos órgãos administrativos das grandes empresas cotadas na Bolsa de Milão. E o faz em vista da próxima temporada em assembleia, lançando uma consulta para o mercado sobre um projeto de comunicação nas três áreas temáticas vinculadas à atividade dos órgãos administrativos, ou seja, Conselhos de Administração e diretorias.

O projeto desenvolvido pela entidade se refere à remuneração dos líderes empresariais, com particular atenção aos regimes de indenizações no caso de rescisão antecipada do trabalho; aos planejamentos de sucessão para a transição na cúpula; e à autoavaliação dos órgãos administrativos.

"As informações sobres estes três pontos deverão ser informadas aos acionistas e ao mercado antes da próxima assembléia, em respeito ao Artigo 114 da Lei Consolidada sobre Finanças (TUF)", anuncia a Comissão.

A ação da Consob diz respeito às principais sociedades cotadas na Bolsa de Valores, isto é, às 38 empresas italianas que estão no índice FTSEMIB.

A intervenção Consob é de natureza transitória "porquanto as temáticas alvo do comunicado serão definidas de forma mais sistemática no âmbito das medidas regulamentares que a Comissão pretende adotar em 2011, após consulta ao Banco da Itália e ISVAP - no que se refere aos sujeitos respectivamente vigilantes, a fim de transpor as recomendações europeias em termos de remunerações dos gestores", explica a nota.

"O objetivo da intervenção - afirma a entidade sob o comando de Giuseppe Vegas - é melhorar a transparência em relação ao mercado sobre os aspectos de governança corporativa que são particularmente relevantes na atual fase de mercado e sobre os quais, como surgiu das análises da Consob, as informações fornecidas pelas sociedades são muitas vezes incompletas, genéricas e difíceis de comparar".

Em particular, no planejamento sucessório - tema que ainda não foi regulamentado, segundo a Comissão "recentes acontecimentos societários demonstraram o quanto é importante para uma empresa ter um plano estruturado para a sucessão de seus diretores executivos: a existência de planos idôneos de sucessão permite à empresa não só substituir imediatamente os administradores destituídos de seu cargo, garantindo a continuidade e a segurança da gestão empresarial, como também selecionar os melhores candidatos à sucessão".

O episódio Unicredit não é diretamente citado, mas o pensamento se dirige ao banco e ao pós-Profumo (Alessandro Profumo renunciou ao cargo de CEO de Unicredit em 21 de setembro do ano passado, para evitar um confronto entre os maiores acionistas no Conselho Administrativo).

Em geral, a Consob afirma que "um plano de sucessão bem concebido deveria identificar, para cada posição-chave na empresa, os critérios e regras para a seleção dos possíveis candidatos à substituição, internos e externos. Na ausência de tais planos, a substituição de diretores pode não ocorrer prontamente, resultando em descontinuidade e incerteza na gestão empresarial, com consequências negativas tanto em termos de desempenho como de reputação".

OS EMPRESÁRIOS MAIS BEM PAGOS EM 2009 - Segue-se a lista dos 10 empresários mais bem pagos em 2009, com base em dados do orçamento publicados em 2010, segundo elaborações do jornal Il Sole 24 Ore. Entre parênteses, a empresa da qual deriva a maior parte das taxas que, às vezes, gozam de "arredondamento" ligados à presença de mais gestores de um Conselho de Administração:

1) Puri Carlo Negri (Pirelli RE) - 15,2 milhões (14 milhões em indenizações)
2) Claudio De Conto (Pirelli) - 7,3 milhões (dos quais 4,95 milhões até o fim do contrato de trabalho)
3) Marco Tronchetti Provera (Pirelli) - 5,9 milhões
4) Antoine Bernheim (Generali) - 5,58 milhões
5) Luca Cordero di Montezemolo - 5,1 milhões (Ferrari)
6) Mauro Pessi (Brembo) - 5,1 milhões
7) Sergio Marchionne (Fiat) - 4,78 milhões
8) Pier Francesco Guarguaglini - 4,7 milhões (Finmeccanica)
9) Paolo Scaroni (Eni) - 4,4 milhões
10) Alessandro Profumo (Unicredit) - 4,26 milhões.

Seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário

Não serão aceitos comentários Anônimos (as)
Comentar somente sobre o assunto
Não faça publicidade (Spam)
Respeitar as opiniões
Palavras de baixo calão nem pense
Comentários sem Perfil não será publicado
Quer Parceria não será por aqui.(Contato no Blog)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Link - me



Software do Dia: Completo e Grátis

Giveaway of the Day

Suas Férias

PageRank

  ©LAMBARITÁLIA - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo