quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Tunísia aceita colaboração da Itália para tentar conter onda migratória

Imigrantes tunisianos que chegaram ilegalmente a Lampedusa posam para foto nesta terça-feira (15). A mensagem escrita no chão celebra, em árabe, a democratização do país (Foto: Reuters)

Da Reuters - A Tunísia aceitou nesta terça-feira (15) ajuda técnica da Itália para conter a onda de migrantes ilegais que tem chegado a uma ilha italiana desde que os tunisianos derrubaram seu presidente.

A União Europeia estima que 5.500 tunisianos chegaram clandestinamente nos últimos dias à ilha de Lampedusa, numa situação que o governo italiano qualificou de emergência humanitária e atribuiu à turbulência dentro da Tunísia.

Num sinal de que a segurança está gradualmente melhorando, o Ministério do Interior tunisiano anunciou a suspensão do toque de recolher noturno imposto no mês passado, no auge dos protestos que acabariam por derrubar o presidente Zine al Abidine Ben Ali, no mês passado.
 
Há anos governos europeus se valem de medidas duras por parte das ditaduras do Norte da África para evitar a migração ilegal. A queda de Ben Ali e a subsequente desordem nas forças de segurança tunisianas alteraram esse estado de coisas.

O chanceler italiano, Franco Frattini, foi a Túnis discutir o assunto e, após reunião com o primeiro-ministro interino Mohamed Ghannouchi, disse que os dois países definiram um marco de cooperação migratória que 'respeita a soberania da Tunísia.'

Segundo a agência tunisiana de notícias TAP, Frattini prometeu radares e lanchas para serem operados pelos tunisianos.

Os dois lados parecem também ter superado o incidente diplomático surgido depois que o ministro italiano do Interior sugeriu que Roma poderia enviar sua polícia à Tunísia, o que levou o governo do país africano a apontar uma violação da sua soberania.

Desde que Ben Ali fugiu do país, o governo provisório se empenha em recuperar a estabilidade. Mas a polícia se dissolveu em muitos lugares, e greves e protestos no país inteiro continuam prejudicando a economia.

Nesta semana, o governo mobilizou militares em trechos do litoral de onde os migrantes saem em balsas improvisadas e superlotadas com direção à ilha de Lampedusa, que fica na costa africana.

A comissária europeia de Assuntos Internos, Cecilia Malmstrom, disse em discurso que o número de pessoas chegando à Itália caiu nas últimas 24 horas.

'Estamos preparados para ajudar tanto a Itália quanto a Tunísia. Trata-se de uma questão de grande importância para a UE.'

A suspensão do toque de recolher atende à pressão do importante setor turístico da Tunísia, já que a medida estava afastando visitantes.

Mas, num sinal de que a situação continua instável, o Ministério do Interior afirmou que manterá por enquanto o estado de emergência, que proíbe concentrações com mais de três pessoas nas ruas e autoriza os militares a dispararem contra quem desobedecer às suas ordens.
 

Seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário

Não serão aceitos comentários Anônimos (as)
Comentar somente sobre o assunto
Não faça publicidade (Spam)
Respeitar as opiniões
Palavras de baixo calão nem pense
Comentários sem Perfil não será publicado
Quer Parceria não será por aqui.(Contato no Blog)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Link - me



Software do Dia: Completo e Grátis

Giveaway of the Day

Suas Férias

PageRank

  ©LAMBARITÁLIA - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo