segunda-feira, 11 de abril de 2011

Registro de perda de ozônio no Ártico

por Capitan Tomate 
A camada de ozônio no Pólo Norte sofre um nível sem precedentes de destruição causado por condições climáticas excepcionais, os relatórios da agência francesa Centro Nacional de Investigação Científica (CNRS).



No final de março, o afinamento da camada de ozônio que protege a Terra dos raios ultravioleta foi de 40% e gravados em uma área ampla, um fenômeno nunca antes observado.

A razão para esta perda recorde parece ter sido devido a um inverno frio duradouro levando à destruição de ozônio até a chegada da primavera.


A Agência Espacial Europeia (ESA) Especifica que o registro na camada de ozônio é devido aos fortes ventos conhecido como "vórtice polar". Este fenômeno isolado de massa de ar sobre o Pólo Norte e que impede que esta mistura com o ar em latitudes médias.

Como resultado, a situação (baixas temperaturas) é muito semelhante ao que ocorre a cada inverno na Antártica. O satélite Enviasat, O ESA forneceu dados para medir os níveis de ozono.

A destruição da camada de ozônio está relacionada com a presença na atmosfera de gases ricos em vários cloros e bromos (os famosos clorofluorcarbonos ou CFC) Emitido por aerossóis.

A 80 graus Celsius, esses gases são prejudiciais ao ozônio, Um fenômeno recorrente na Antártida, onde as temperaturas são extremamente frias a cada inverno, mas são menos comuns no Pólo Norte, onde a temperatura são de condições meteorológicas mais elevadas e mais variável.

Cientistas franceses procuram agora determinar o impacto deste fenómeno terá, quando as massas de ar pobres em ozônio que se deslocam, uma vez que as temperaturas aumentam com o avanço da primavera.

A CNRS advertiu que a deterioração da camada de ozônio teria sido superior em 1987 não tinha sido assinado Protocolo de Montreal, O que limita o uso de aerossóis.

O problema real é que o CFC permanecer durante anos na atmosfera.Então os cientistas não descartam a destruição da camada de ozônio semelhante ao deste ano ser repetida se houver novamente excepcionalmente invernos frios.

Segundo a última avaliação da camada de ozônio, o gás não vai recuperar o seu nível de 1980 até o ano 2045-2060, no Pólo Sul e uma ou duas décadas anteriores na região Norte.

Via | ESA

Seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário

Não serão aceitos comentários Anônimos (as)
Comentar somente sobre o assunto
Não faça publicidade (Spam)
Respeitar as opiniões
Palavras de baixo calão nem pense
Comentários sem Perfil não será publicado
Quer Parceria não será por aqui.(Contato no Blog)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Link - me



Software do Dia: Completo e Grátis

Giveaway of the Day

Suas Férias

PageRank

  ©LAMBARITÁLIA - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo