sexta-feira, 30 de março de 2012

Bilhões de planetas habitáveis em nossa galáxia são calculados por cientistas

Por Inovação Tecnológica 
Surpreendentes estimativas demonstram possibilidade de dezenas de bilhões de mundos semelhantes ao nosso
A parte central da nossa galáxia, como observado no infravermelho próximo com o instrumento NACO no Very Large Telescope do ESO. Crédito: ESO/S. Gillessen et al

Que há mais planetas do que estrelas na Via Láctea você já sabia 
 
 
 
 
[Veja 160 bilhões de mundos alienígenas na Via Láctea, demonstra estudo científico e Na Via Láctea há mais planetas que estrelas, conclui pesquisa]. O que os astrônomos agora verificaram é que os mundos rochosos não muito maiores que a Terra são também comuns nas zonas habitáveis em torno das estrelas vermelhas de baixa luminosidade - o levantamento anterior não era sensível a essa classe de exoplanetas. Uma equipe internacional estimou que existem dezenas de bilhões desses orbes - geralmente chamados de super-Terras - só na nossa galáxia, e provavelmente cerca de uma centena na vizinhança imediata do Sol.

Esta é a primeira medição direta da frequência de super-Terras em torno de anãs vermelhas, as quais constituem cerca de 80% de todas as estrelas da Via Láctea. Esta primeira estimativa direta do número de planetas leves em torno das estrelas anãs vermelhas foi realizada com a ajuda do espectrógrafo High Accuracy Radial velocity Planetary Search (HARPS) instalado no telescópio de 3,6 metros que se encontra do observatório do ESO, em La Silla, no Chile.

A equipe do HARPS está à procura de exoplanetas que orbitam os tipos de estrelas mais comuns da Via Láctea, as anãs vermelhas - também conhecidas como anãs do tipo M, o que corresponde ao mais frio dos sete tipos espectrais pertencentes a um esquema simples de classificação das estrelas segundo a sua temperatura e a aparência do seu espectro. Essas estrelas apresentam fraca luminosidade e são pequenas quando comparadas com o Sol. No entanto, são muito comuns e vivem durante muito tempo, correspondendo por isso a 80% de todas as estrelas da Via Láctea.

"As nossas novas observações obtidas com o HARPS indicam que cerca de 40% de todas as anãs vermelhas possuem uma super-Terra que orbita na zona habitável, isto é, onde água líquida pode existir na superfície do planeta", disse Xavier Bonfils, líder da equipe. "Como as anãs vermelhas são muito comuns - existem cerca de 160 bilhões de estrelas deste tipo na Via Láctea - chegamos ao resultado surpreendente de que existirão dezenas de bilhões destes planetas só na nossa galáxia", completou.


A equipe HARPS analisou uma amostra cuidadosamente selecionada de 102 estrelas deste tipo...

Leia matéria completa
 
 
 
Agradecimentos a: 

Paulo R. Poian.
Coordenação Portal da Ufologia Brasileira www.ufo.com.br
Consultor da Revista UFO Brasil

Seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário

Não serão aceitos comentários Anônimos (as)
Comentar somente sobre o assunto
Não faça publicidade (Spam)
Respeitar as opiniões
Palavras de baixo calão nem pense
Comentários sem Perfil não será publicado
Quer Parceria não será por aqui.(Contato no Blog)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Link - me



Software do Dia: Completo e Grátis

Giveaway of the Day

Suas Férias

PageRank

  ©LAMBARITÁLIA - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo