quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Agora eles vão começar a tributar o ar que respiramos?

Em 1962, o poeta norte-americano Edward Estlin Cummings previu uma mudança na ordem natural soletrando uma catástrofe para a humanidade e nosso meio-ambiente. E ele tinha razão: uma nova pesquisa revela que a Terra está a ficar sem oxigênio, e rápidamente. O imposto sobre a gasolina de hoje vai se transformar em um imposto sobre a água amanhã e, eventualmente, sim, eles vão tributar o ar que respiramos. 

Em 1962, o poeta progressivo norte-americano Edward Estlin Cummings escreveu o poema "Quando as serpentes negoceiam o direito de torcer", prevendo um mundo em que "Serpentes negoceiam para o direito de se contorcer e o sol faz greve para ganhar um salário digno" e onde "quaisquer ondas assinam sobre a linha pontilhada ou então um oceano é obrigado a fechar", terminando com uma afirmação de que quando a humanidade começar realmente a ganhar controle sobre a natureza, então nós podemos finalmente acreditar neste "não-animal", o homem.

Infelizmente, parece ter acontecido nem cinqüenta anos depois de ele escrever estas sábias palavras. Uma nova pesquisa do pesquisador norte-americano Terrence Aym* relata dados que apontam para uma tendência alarmante e ameaçadora à vida: a Terra está a ficar sem oxigênio.

A pesquisa de Aym em seu artigo "Os cientistas avisam que o mundo poderia ficar sem ar respirável" usa, entre muitas credíveis fontes científicas, os dados do professor Ralph Keeling, do Scripps Research Institute, que produziu a curva de Keeling, que mede a evolução da oferta de oxigênio na atmosfera. A linha de fundo é que esse gás, essencial para sustentara vida, está diminuindo.

O artigo afirma que o gás era uma vez tão abundante, que constituía cerca de um terço da atmosfera (agora já baixou para entre 19 e 21 por cento) e que foi responsável pelo enorme tamanho de muitas espécies de animais, e já está chegando a níveis surpreendentemente baixos, de tal forma que as zonas mortas, onde o oxigênio não suporta mais a vida, já começaram a aparecer nos oceanos e têm-se expandido para 4,5 milhões de quilômetros quadrados, equivalente a metade do território dos Estados Unidos da América.

Como a expansão das zonas mortas, a investigação científica revelada por Terrence Aym aponta para uma possível depleção mais de 20 por cento em um futuro próximo.

Os cientistas fazem uma ligação directa entre a atividade solar incomum ao longo dos últimos dez anos, o efeito disso sobre as erupções vulcânicas, que emitem mais CO2, metano e enxofre na atmosfera, desastres como o Deepwater Horizon e os fogos florestais, que emitem grandes quantidades de gás metano e carbono, levando à deslocação de oxigênio.

A pesquisa, baseada em diversas fontes científicas credíveis de renomadas universidades e institutos de pesquisa, deixa o leitor ofegante ... como, aliás, será o cenário de pesadelo se se tornar realidade. E tudo indica que será assim.

* Terrence Aym "Cientistas alertam que o mundo poderia ficar sem ar respirável"
http://www.helium.com/items/1965918-keeling-curve-co2-and-loss-of-atmospheric-oxygen

Timofei BELOV
Pravda.Ru 
Fonte: Pravda.ru

Seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário

Não serão aceitos comentários Anônimos (as)
Comentar somente sobre o assunto
Não faça publicidade (Spam)
Respeitar as opiniões
Palavras de baixo calão nem pense
Comentários sem Perfil não será publicado
Quer Parceria não será por aqui.(Contato no Blog)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Link - me



Software do Dia: Completo e Grátis

Giveaway of the Day

Suas Férias

PageRank

  ©LAMBARITÁLIA - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo