quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Amamentação traz benefícios ao bebê e à mãe

Para o bebê, o leite materno é primordial. A amamentação o protege de diabetes, da doença celíaca, de infecções respiratórias, alergias, diarreia, infecções urinárias, obesidade, hipertensão, cáries, má oclusão dentária, entre outros problemas. Além disso, ao amamentar, a mãe promove o fortalecimento dos vínculos afetivos e faz com que o bebê se sinta mais amado e protegido.

Após o parto, a primeira hora de amamentação é considerada uma das mais importantes. O reflexo de sucção é mais forte na primeira hora após o parto e ajuda na apojadura (descida do leite); previne hemorragia materna; proporciona o contato pele a pele mantendo o bebê aquecido; ajuda o bebê a eliminar mecônio (primeiras fezes) prevenindo a icterícia (amarelão). O leite dos primeiros dias, chamado de colostro, tem alto valor nutritivo e age como uma verdadeira vacina, protegendo contra doenças comuns na infância.

“O Ministério da Saúde preconiza a alimentação do bebê exclusivamente com leite do peito até os seis meses e a manutenção até os dois anos de vida. O aleitamento é a primeira vacina do bebê e, portanto, essencial para evitar mortes de recém-nascidos”, explicou Alessandra Cruz Gomes, referência técnica em aleitamento materno da Secretaria de Estado de Saúde.

Além dos benefícios para o bebê, a mulher, ao amamentar, mobiliza diversos recursos do próprio organismo que aceleram a recuperação pós-parto. O corpo volta mais rapidamente ao normal, já que a amamentação resulta na queima de mais de 500 calorias por dia. O útero se contrai com maior facilidade e, por consequência, a mulher perde menos sangue. Isso reduz as chances de anemia.

Políticas Públicas

Para a coordenadora estadual de Atenção à Saúde da Mulher, Criança e Adolescente, Marta Alice Venâncio Romanini, o aleitamento possibilita a redução da mortalidade infantil. “O estímulo ao aleitamento, além de aumentar o vínculo afetivo entre mãe e filho e prevenir doenças, é política pública de saúde uma vez que é um dos fatores responsáveis pela queda da mortalidade infantil”, disse.

A amamentação é a base para redução de doenças e mortalidade nas crianças menores de um ano. De acordo com Marta Alice, o aleitamento é uma das principais estratégias para queda dos índices de mortes de crianças até um ano de idade. “Alguns estudos apontam que o risco de óbitos em função de diarreias é 17 vezes maior em crianças que não amamentaram. Já os indicadores de risco para as doenças respiratórias aumentam em três vezes e meia. É preciso, então, promover e apoiar a amamentação, sugerindo e estimulando as abordagens práticas”, analisou.

Hospitais Amigos da Criança e Banco de Leite Humano

Minas Gerais conta, atualmente, com 21 Hospitais Amigos da Criança, que incentivam o aleitamento; nove Bancos de Leite Humano (BLH); e mais de mil profissionais capacitados no manejo e promoção da amamentação. O BLH tem como objetivos: incentivar, proteger e promover o aleitamento materno, bem como realizar controle de qualidade no leite humano ordenhado, diminuindo os índices de morbi-mortalidade infantil, visando à melhoria da qualidade de vida da população.

O leite processado pelo banco é ofertado de forma gratuita a determinados recém-nascidos prematuros e lactentes em situações especiais. Qualquer mãe saudável que estiver amamentando e tiver leite excedente pode fazer a doação.

O BLH também elabora rotinas e linhas de conduta em aleitamento materno; colabora e realiza pesquisas científicas relacionadas ao assunto; treina e capacita profissionais da área da saúde e afins e segmentos da sociedade, para promoção e incentivo ao aleitamento materno, com o objetivo de melhorar a qualidade de vida da população; mantém controle de qualidade e distribuição de Leite Humano Ordenhado pasteurizado; e atende às clientes com dificuldades no aleitamento materno.

Em Minas Gerais os Bancos de Leite Humano podem ser encontrados em Belo Horizonte, na Maternidade Odete Valadares, da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig), referência do Estado, e nos municípios de Juiz de Fora, Montes Claros, Uberlândia, Uberaba, Varginha, Araxá, Ouro Preto e Betim.

A Iniciativa Hospital Amigo da Criança (IHAC) foi idealizada em 1990 pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e pelo Unicef para promover, proteger e apoiar o aleitamento materno. O objetivo é mobilizar os funcionários dos estabelecimentos de saúde para que mudem condutas e rotinas responsáveis pelos elevados índices de desmame precoce.
jornalvarginhahoje

Seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário

Não serão aceitos comentários Anônimos (as)
Comentar somente sobre o assunto
Não faça publicidade (Spam)
Respeitar as opiniões
Palavras de baixo calão nem pense
Comentários sem Perfil não será publicado
Quer Parceria não será por aqui.(Contato no Blog)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Link - me



Software do Dia: Completo e Grátis

Giveaway of the Day

Suas Férias

PageRank

  ©LAMBARITÁLIA - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo