terça-feira, 5 de outubro de 2010

Papa recebe bispos brasileiros

Cidade do Vaticano - O papa Bento XVI recebeu bispos brasileiros hoje no Vaticano e afirmou que a Igreja Católica "não está competindo com outras experiências religiosas" e que "seu único dever é anunciar o Evangelho". O Pontífice se pronunciou diante de religiosos da Regional Norte I e Noroeste da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) em visita "ad limina", que ocorre a cada cinco anos. De acordo com o Santo Padre, mesmo que "os homens possam ser salvos por outros meios, graças à misericórdia de Deus", não é possível pensar na salvação se "por negligência, medo, vergonha ou por seguir falsas idéias" o anúncio do Evangelho for impedido. Bento XVI convidou a "refletir sobre o fato de que o enfraquecimento do espírito missionário não se deve tanto aos limites ou carências nas formas externas da ação missionária tradicional, quanto a esquecer que a missão deve ser nutrida de um núcleo mais profundo" e que este "núcleo é a Eucaristia".

Em seu discurso aos prelados, o Pontífice pediu a Deus para que sustente e fertilize os esforços dos bispos brasileiros - muitas vezes sem os meios adequados - para levar a palavra de Deus a todos os cantos da floresta amazônica.

O Papa também citou o padre José de Anchieta, dizendo que "sua incansável e muito generosa atividade apostólica" fez com que os ensinamentos da Igreja se propagassem tanto entre índios como entre os portugueses.

Segundo o chefe de Estado do Vaticano, o exemplo do religioso "pode servir de modelo para ajudar" as igrejas do Brasil "a encontrar os caminhos para empreender a formação de discípulos missionários"


No berço da máfia, Bento XVI pede coragem 'diante do mal'

Palermo - A máfia é "um caminho para a morte, incompatível com o Evangelho", disse o papa Bento XVI aos jovens em Palermo, na Sicília (sul da Itália), berço da mais tradicional das máfias do país: a Cosa Nostra.

"Não cedam às sugestões da máfia, que é um caminho para a morte, incompatível com o Evangelho, como tantas vezes seus bispos já disseram", declarou Bento XVI em uma cerimônia na praça Politeama da capital da região siciliana.

O Papa usou a metáfora da árvore que cresce na raiz do "bom", para se aprofundar uma mensagem contra a criminalidade organizada que surgiu no século XIX na Sicília.

"Sejam árvores, cujas raízes crescem no rio do bem", exortou Bento XVI, que também convidou a "não ter medo de combater o mal", dando o exemplo de Chiara Badano, beatificada recentemente, e de Rosario Livatino, juiz assassinado em 1990, aos 38 anos, pela máfia.

"Juntos serão como uma floresta em crescimento, talvez silenciosa, mas capaz de dar frutos e renovar profundamente a sua terra", disse ainda o Papa.

Sobre a morte prematura de alguns jovens na fé, Joseph Ratzinger disse que "muitas vezes sua ação não é novidade, porque o mal é mais barulhento, mas eles são a força, o futuro da Sicília".

Bento XVI destacou o papel fundamental da família e sua proximidade à população, reconhecendo as dificuldades.

"Em Palermo, como em toda a Sicília, não faltam dificuldades, problemas e preocupações: penso especialmente naqueles que vivem em condições de precariedade por não ter trabalho, pela incerteza do futuro, pelo sofrimento físico e moral" e "por causa do crime organizado", disse o Papa, falando 17 anos após a histórica advertência da máfia a João Paulo II, do Vale dos Templos, em Agrigento.

Bento XVI exortou os sicilianos a "não desanimarem" e nem "temerem" frente ao crime organizado e pediu "para não cederem à resignação" diante do mal, nesta sua primeira visita à Sicília desde o começo de seu pontificado. O Pontífice também convidou os fieis a não pensar que já "não se pode fazer nada" contra o crime, e os convidou a encarar as dificuldades do presente e a recordar figuras como Dom Pino Puglisi, sacerdote assassinato pela máfia em 1993, que trabalhou para tentar evitar que os jovens de Palermo entrassem na vida criminosa. A Comunidade religiosa siciliana pede que Puglisi seja declarado mártir. Ao se dirigir aos católicos durante a homilia da missa celebrada na manhã deste domingo (3) no Foro Itálico, diante de 200 mil pessoas, o Pontífice fez uma advertência aos que prejudicam a sociedade civil, ao afirmar que deveriam se "envergonhar do mal", que ofende a Deus e ao homem, em se referindo à criminalidade organizada.

De acordo com os organizadores, a visita do Papa - a primeira dele à Sicília desde que assumiu o Trono de Pedro, em 2005 - reuniu mais de 250 mil fieis na missa e nas ruas pelas quais passou.
Depois da Santa Missa e do Angelus, Bento XVI almoçou com os bispos sicilianos no Palácio da Arquidiocese de Palermo e, às 17h (12h no horário de Brasília), teve um encontro com sacerdotes, religiosos e seminaristas na catedral da cidade, antes de retornar para Roma.
 
blogdoaleitalia 

Seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário

Não serão aceitos comentários Anônimos (as)
Comentar somente sobre o assunto
Não faça publicidade (Spam)
Respeitar as opiniões
Palavras de baixo calão nem pense
Comentários sem Perfil não será publicado
Quer Parceria não será por aqui.(Contato no Blog)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Link - me



Software do Dia: Completo e Grátis

Giveaway of the Day

Suas Férias

PageRank

  ©LAMBARITÁLIA - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo