quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Astrônomos assumem: pode haver o triplo de estrelas no universo

A descoberta também amplia o número de planetas em órbita desses sóis
Antes e depois. Filtrando a luz de outras estrelas, astrônomos detectaram a fraca assinatura das pequenas anãs vermelhas nas galáxias elípticas vizinhas da Via Láctea. Crédito: Yale University 
Por Inovação Tecnológica

Se já era difícil imaginar os bilhões de astros de cada galáxia e os outros bilhões de galáxias, agora talvez seja necessário multiplicar essa imensidão por três. Astrônomos descobriram que existem muito mais estrelas pequenas e relativamente frias - chamadas anãs vermelhas - do que eles haviam calculado anteriormente. A conta estava tão errada que o número total pode ser três vezes maior.

Como as anãs vermelhas são relativamente pequenas e pouco brilhantes, quando comparadas a estrelas como o nosso Sol, os astrônomos não eram capazes de detectá-las fora da Via Láctea e das galáxias mais próximas de nós. Desta forma, eles não sabiam qual era o percentual das anãs vermelhas em relação à população total de astros do universo.

Na nova pesquisa, os astrônomos usaram os mais modernos instrumentos do Observatório Keck, no Havaí, para detectar seus fracos sinais em oito galáxias elípticas gigantes relativamente próximas da Via Láctea - localizados entre cerca de 50 milhões e 300 milhões de anos-luz de distância. Eles descobriram que as anãs vermelhas - que têm uma massa equivalente a apenas 10 a 20 por cento da massa do Sol - são muito mais abundantes do que o esperado.

"Ninguém sabia quantas delas havia", disse Pieter van Dokkum, da Universidade de Yale, nos Estados Unidos. "Diferentes modelos teóricos previam uma vasta gama de possibilidades, de modo que nossa pesquisa responde a uma pergunta que estava em suspenso há muito tempo". A equipe descobriu que há cerca de 20 vezes mais anãs vermelhas nas galáxias elípticas do que na Via Láctea.

"Nós geralmente assumimos que as outras galáxias se parecem com a nossa. Mas nosso achado sugere que outras condições são possíveis em outras galáxias", afirmou Charlie Conroy, do Centro Harvard-Smithsonian de Astrofísica, que também participou da pesquisa. "Então, essa descoberta pode ter um impacto significativo em nossa compreensão da formação e da evolução das galáxias".

Por exemplo, explica Conroy, as galáxias podem conter menos matéria escura - uma substância misteriosa, que tem massa, mas não pode ser observada diretamente - do que as medidas anteriores de suas massas indicavam. Em vez disso, as abundantes anãs vermelhas podem representar uma parcela muito maior de sua massa do que os cientistas calculavam.

Trilhões de Terras

Outro efeito significativo da pesquisa, segundo Dokkum, é que a descoberta...

Agradecimentos a:
Paulo R. Poian.
Consultor da Revista UFO Brasil

Seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário

Não serão aceitos comentários Anônimos (as)
Comentar somente sobre o assunto
Não faça publicidade (Spam)
Respeitar as opiniões
Palavras de baixo calão nem pense
Comentários sem Perfil não será publicado
Quer Parceria não será por aqui.(Contato no Blog)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Link - me



Software do Dia: Completo e Grátis

Giveaway of the Day

Suas Férias

PageRank

  ©LAMBARITÁLIA - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo