segunda-feira, 21 de março de 2011

Voluntário transmite ao vivo nível de radiação em Tóquio


Diante da terrível situação pela qual passa o Japão, é natural que as autoridades tentem controlar as informações que chegam à população. Recentemente, um boato de que os níveis de radiação em Tóquio estariam elevados fez com que diversas pessoas deixassem a capital. No entanto, um voluntário localizado nos arredores da cidade está monitorando os níveis de radiação e colocando ao vivo as imagens na internet.


O instrumento utilizado pelo voluntário japonês é o conhecido como contador Geiger-Muller, inventado em 1913 pelo alemão Hans Geiger e aperfeiçoado em 1928, em conjunto com seu compatriota Walther Müller.

O princípio de funcionamento do instrumento é bastante simples e se baseia na propriedade que as partículas alfa, beta e gama têm de ionizar um gás nobre.

O elemento principal do detector é uma ampola de vidro preenchida com gás argônio. Quando uma dessas partículas penetra o interior do tubo, libera elétrons do gás, tornando-o condutor por uma fração de segundo, produzindo uma descarga elétrica. Essa descarga é então detectada, amplificada e enviada a um instrumento registrador, que mede a quantidade de partículas que estão ionizando gás.

Apesar de ser um instrumento amador, o contador Geiger-Muller utilizado pelo voluntário é bastante preciso na contagem de partículas e por isso pode ser um bom monitor dos níveis reais de radiação que estão sendo registrados.

De acordo com a página na internet, o tubo sensor do contador está instalado do lado de fora da casa, preso na parte externa de uma das janelas. Pelo que se pode ver, o instrumento está calibrado em CPM (Contagens Por Minuto) e não em Sieverts ou Roentgens, que é a forma utilizada pelas autoridades sanitárias para se medir a dose de radiação em uma pessoa. No entanto, é possível converter os números apresentado e transforma-los nessas unidades, como mostra a tabela abaixo.



CPMMiliRoentgens/hSievert/h
12.00 0.010.1 microSv
1,200.00110 microSv
12,000.0010100 microSv
120,000.001001 miliSv


Para fins de comparação, a radiação global média normal é de cerca de 0.1 microSieverts por hora, algo próximo a 12 CPM. Desde que entrou em operação, o instrumento instalado em Tóquio vem apresentando valores ao redor de 13 CPM, o que pode ser considerado normal. Para se ter uma ideia, a radiação dentro do reator 2 da usina de Fukushima entre os dias 15 e 16 de março estava entre 3 e 10 mSv/h (miliSieverts por hora) . Se o instrumento estivesse dentro da usina registraria valores entre 360 mil CPM e 1.2 milhão CPMs.

Abaixo vemos alguns valores práticos de exposição e que podem ser usados como referência:


Radiografia dos dentes: 0.005 mSv

Mamografia: 3 mSv

Tomografia do Crânio: 0.8 a 5 mSv

Série de radiografias de Investigação gastrointestinal: 14 mSv

Limite norte-americano para voluntários em operação de resgate: 1000 mSv (1 Sv)

Dose próxima ao reator 4 de Chernobyl após a explosão: 10 a 300 Sv/hr

Nível de radiação reportado dentro do reator 3 da usina de Fukushima: 400 mSv/h







  • Apolo11.com - Todos os direitos reservados

    Seja o primeiro a comentar!

    Postar um comentário

    Não serão aceitos comentários Anônimos (as)
    Comentar somente sobre o assunto
    Não faça publicidade (Spam)
    Respeitar as opiniões
    Palavras de baixo calão nem pense
    Comentários sem Perfil não será publicado
    Quer Parceria não será por aqui.(Contato no Blog)

    Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

    Link - me



    Software do Dia: Completo e Grátis

    Giveaway of the Day

    Suas Férias

    PageRank

      ©LAMBARITÁLIA - Todos os direitos reservados.

    Template by Dicas Blogger | Topo